quarta-feira, 28 de setembro de 2016

RECEITA DE BACALHAU À MARGOT



Ingredientes:
  • 500 gramas de lombo de bacalhau dessalgado, sem pele e sem espinhas
  • 500 gramas de batatas cozidas sem casca e com sal
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 3 gemas
  • Farinha de rosca para polvilhar
  • Uma pitada de noz-moscada

Preparo:

Ferva o bacalhau, corte-o em pequenos quadrados, amassando-os em seguida com um garfo para que desfie.

Passe as batatas pelo espremedor, junte o bacalhau, as gemas, a noz-moscada e 1 colher de sopa de manteiga, misturando tudo muito bem.

Vire esta massa em um refratário e polvilhe por cima a farinha de rosca.

Derreta 1 colher de sopa de manteiga e derrame-a por cima.

Em um forno pré-aquecido a 250 graus Celsius, deixe o refratário por 45 minutos aproximadamente, ou até que a parte de cima fique bem tostada.

Tempo de preparo: 80 minutos

Serve 3 pessoas

Foto: Wilson Luiz Negrini de Carvalho

Para você que gosta de bacalhau, gostaria de deixar minha recomendação de um livro:

terça-feira, 27 de setembro de 2016

LIVRO : OS SEGREDOS DA MENTE MILIONÁRIA


Título do livro: Os segredos da mente milionária - Aprenda a enriquecer mudando seus conceitos sobre o dinheiro e adotando os hábitos das pessoas bem sucedidas

Autor: T. Harv Eker

Editora: Sextante

ISBN: 85-7542-239-1

Minha percepção sobre o livro: Ele faz um bom "par" com o livro Pai Rico, Pai Pobre, do autor Robert Kiyosaki, que também nos remete ao tema de independência financeira. Contudo, Os Segredos da Mente Milionária tem uma abordagem totalmente diferente, e chego a reconhecer nele, em vários pontos, muita coisa relacionada à Programação Neurolinguística, principalmente na iniciativa dele em querer reprogramar nossas crenças. Achei muito legal, e recomendo este livro.

Você pode comprar este livro na Amazon:

domingo, 25 de setembro de 2016

POR QUÊ OS VELHOS SÃO ASSIM?


Me lembro de muitas coisas de quando eu era criança, com 6 ou 7 anos de idade.

Uma das coisas que me lembro claramente é de uma indagação que sempre surgia em minha mente quando olhava para pessoas idosas: por quê os velhos são assim?

Na época eu não ouvia a palavra idoso com frequência, e se ouvisse, não saberia o significado. Os chamava de velhos mesmo.

Eu olhava para eles e ficava intrigado com a tristeza, o desânimo, a falta de esperança de seus olhares. Qual era o motivo daquilo?

Me recordo que meu avô por parte de mãe, Luiz Silva Negrini, que era membro ativo nas Casas Pias de Taubaté (uma entidade assistencial para idosos), me levava lá de vez em quando, e eu ficava impressionado com os semblantes que via, embora não comentasse isso com ninguém.

Na minha concepção infantil, jamais conseguiria imaginar, que por trás daqueles olhares poderia encontrar sofrimentos acumulados de um vida inteira: desencontros amorosos, perda de entes queridos, abandono por parte dos familiares, dificuldades financeiras, doenças crônicas ou incuráveis, nenhuma perspectiva de futuro, a revolta por ver que seus sonhos nunca se realizaram e nunca se realizariam.

Naquela idade eu nem sabia que estas coisas existiam.

Não queria estar com eles, apenas porque os sentimentos que eles transmitiam para mim através de suas feições, embora não os identificasse claramente naquela época, eram simplesmente os piores que uma criança poderia perceber.

Hoje sei que por trás de muitas destas pessoas, existe um herói cansado, que batalhou a vida inteira e viveu dificuldades de todos os tipos.

Quando os encontro pelas ruas, imagino que boas experiências estas pessoas teriam para compartilhar comigo. Sim, são pessoas experientes, com muito a ensinar. As conversas que tenho com meus amigos mais velhos, são de longa duração, e me agradam enormemente.

Pena que muita gente não "veja" desta forma. Aliás não os vêem mesmo, pois são "invisíveis" para boa parte da sociedade. Você já notou como as pessoas mal olham para pessoas idosas?

Dentro das próprias famílias é possível notar este tipo de tratamento. As pessoas visitam seus avós e bisavós "uma vez na vida e outra na morte". E literalmente na morte, pois são pegas de surpresa por ocasião do falecimento dos mesmos.

E você? Como trata os idosos, especialmente os de sua família? Conseguiu aprender alguma coisa com eles, ou acha que eles são "ultrapassados" e nada têm a ensinar?

Texto : Wilson Luiz Negrini de Carvalho

Imagem atribução CC0 (domínio público) obtida no site Pixabay


sábado, 10 de setembro de 2016

FOTO DO MÊS (SETEMBRO/2016)


Foto : Wilson Luiz Negrini de Carvalho

Para você que gosta de fotografia e quer aprender truques essenciais para tirar uma boa foto, recomendo o livro abaixo:

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

FRASES QUE GOSTO (SETEMBRO/2016)


Frases deste mês:
  • Onde nasci, quando e como não é importante. O que fiz com o "onde tenho estado" é que deve ser de interesse.
  • Para crescer, tem de estar disposto a deixar que o seu presente e futuro sejam totalmente diferentes do seu passado. A sua história não é o seu destino. - Alan Cohen
  • Não há regras arquitetônicas para um castelo nas nuvens.
  • As melhores coisas da vida são invisíveis. Por isso fechamos os nossos olhos quando beijamos, dormimos e sonhamos.
  • As decepções na vida são como "quebra-molas" - coisas que temos que ultrapassar para poder desfrutar do resto da viagem.