segunda-feira, 20 de julho de 2009

DIA INTERNACIONAL DO AMIGO E DA AMIZADE

Hoje, 20 de Julho, é o Dia Internacional do Amigo e da Amizade.

Ter amigos é uma das melhores coisas da vida. Recebi um texto muito legal de uma amiga, que estou publicando aqui para homenagear todos os amigos que já passaram pela minha vida. O autor é desconhecido.

"Amigos,

Durante toda minha vida, muitas pessoas passaram por mim, dia após dia. Mas somente algumas dessas pessoas, ficarão para sempre em minha memória.

Essas pessoas são ditas amigas, e as levarei para sempre em meu coração, às vezes pelo simples fato de terem cruzado meu caminho, às vezes pelo simples fato de terem dito uma única palavra de conforto quando eu precisei. Às vezes por ter me dado um minuto de sua atenção, e me ouvido falar de minhas angústias, medos, vitórias, derrotas…

Às vezes por terem confiado em mim, e me contado também seus problemas, angústias, vitórias, derrotas… Isso é ser amigo: é ouvir, é confiar, é amar.

E amigos de verdade, ficam para sempre em nossos corações, assim como as pegadas na alma, que são indestrutíveis.

A vocês meus amigos: vocês são muito especiais e importantes para mim. A amizade de vocês para mim tem um valor enorme, e nada que eu possa dizer a vocês, pode ser tão especial ou mais significativo do que a amizade de vocês para mim."

Feliz Dia do Amigo!

terça-feira, 14 de julho de 2009

SEJA SIMPLESMENTE VOCÊ


Vi um vídeo, na realidade um clip, com um texto muito legal de autor não identificado. Segue o texto:

"Muitas vezes abrir mão da eternidade, leva-nos, inevitavelmente, ao sofrimento.

Entrentanto é melhor sentir dor, amor, frustração, ternura, decepção, carinho e cumplicidade, do que passar uma eternidade inteira, sem tê-los.

Hoje decidi fazer algo novo. Decidi ouvir o som abafado do meu sussurro e entender que algumas coisas são inexplicáveis e permanecerão, para sempre, imutáveis.

Meu coração rendeu-se ao silêncio e pude perceber que há também, muitas outras coisas que podem ser lançadas no mar do esquecimento, e esta atitude, mudar, definitivamente a história da minha vida.

Olhei-me atentamente, pela primeira vez e vi-me como realmente sou. Olhei-me sem hipocrisia, sem máscaras, sem desculpas e desnudei-me de mim mesmo.

Meu coração guiou-me a um encontro com a minha humanidade!

Pude perceber que tornar-me humano significa reconhecer que não sou perfeito, que sou passível de errar, que não preciso ter todas as respostas.

Percebi que tenho deficiências, áreas de sombra, desejos ocultos, fraquezas que não podem ser confessadas.

Rasguei-me por dentro ao confrontar-me com minha humanidade.

Percebi que viver no contexto da eternidade siginifica considerar-me infalível, ser cheio de arrogância, achar-me acima do bem e do mal, ser intolerante, julgar as pessoas pelas suas falhas, não ser compassivo, chegar ao extremo na busca pela perfeição.

Que alto preço a se pagar!

Entretanto, não abro mão mais da minha humanidade.

Cometerei erros, terei decepções, sofrerei, mas também serei mais tolerante, menos arrogante, mais compreensivo, e saberei amar, de uma maneira plena, livre de pré-conceitos e preconceitos.

Essa será minha eterna busca: Morrer para mim mesmo e renascer, mais humano, a cada novo dia!"
( Foto: Wilson Luiz Negrini de Carvalho )

segunda-feira, 13 de julho de 2009

NÃO MACHUQUE A VOCÊ MESMO

Uma das maiores lições que aprendi em meus cursos de PNL, aliás, logo no primeiro curso, foi aquela que me mostrou que ao fazer algo para magoar alguém, por vingança ou qualquer outro motivo, eu é que acabava mais “machucado” ainda. Fazer alguma coisa contra alguém que se estima, mesmo que a pessoa nos tenha dado razão, com certeza, dói muito mais na gente.

Recebi um e-mail com um tipo de metáfora que fala exatamente sobre isso.

Uma noite, enquanto estava procurando por comida, uma cobra entrou em uma carpintaria.

O carpinteiro, que era um pouco bagunceiro, havia deixado várias ferramentas pelo chão. Uma delas era uma serra. Ao andar pela carpintaria, a cobra passou por cima da serra, que a machucou.

Achando que a serra estava atacando-a, a cobra por sua vez virou e mordeu a serra tão forte que sua boca começou a sangrar. Ela atacou novamente e novamente até que a serra estivesse coberta de sangue e parecesse estar morta.

Morrendo dos ferimentos causados em si, a cobra decidiu dar uma última mordida forte e depois foi embora. Na manhã seguinte o carpinteiro se surpreendeu a encontrar a cobra morta no chão.

LIÇÃO A SER APRENDIDA: algumas vezes, ao tentarmos magoar os outros, nós magoamos apenas a nós mesmos.
(Autor desconhecido)

domingo, 12 de julho de 2009

REIKI - NÍVEL I


Desde 2004 sou cliente de um mestre de Reiki que me atende toda vez que vou ao Rio Grande do Sul.

Logo na primeira vez que tive contato com o Reiki, mesmo como cliente, gostei do bem estar que a sessão me proporcionou.

Até Julho/2009 eu nada conhecia sobre o assunto e resolvi que estava na hora de evoluir neste caminho. Assim, procurei o pessoal da Open Dreams em São José dos Campos/SP e me inscrevi para o curso de Reiki, nível I.

Durante o curso aprendi muitas coisas interessantíssimas sobre energia e como utilizá-la em meu benefício e em benefício de outras pessoas.

O mais interessante é que muitas coisas que ouvi neste curso se assemelhavam com as coisas que eu havia ouvido em um outro curso sobre Cabala voltada a aspectos religiosos, que eu havia feito uma semana antes. Duas coisas completamente diferentes, mas que tinham coisas em comum.

Até realizar mais cursos sobre o assunto, tenho muito a praticar.

Os colegas de curso eram pessoas muito legais e o pessoal da Open Dreams, como sempre, com um profissionalismo e competência enormes.

Nos veremos nos próximos treinamentos!

domingo, 5 de julho de 2009

CANÇÃO LÓGICA

Hoje tive a oportunidade de ver um vídeo muito legal da música LOGICAL SONG do grupo SUPERTRAMP.

O vídeo era montado com trechos de vários filmes, tendo esta música como fundo e sua tradução na tela.

Eu nunca havia prestado atenção à tradução e somente hoje percebi que como ela reflete a minha realidade e pelo que tenho visto, realidade de quase todo ser humano que conheço.

Como é que vidas felizes se tornam infernais? Seriam crenças limitantes? Pessoas com quem convivemos? Ou talvez até a própria vida?

Você olha para trás, vê tudo que já passou e não se reconhece. Quem sou eu realmente?

Segue a tradução da música:

Quando eu era mais novo, a vida parecia tão maravilhosa, milagrosa, linda, tão mágica.

E todos os pássaros nas árvores ficavam cantando tão alegremente, felizes e saltitantes, me observando.

Mas depois me mandaram para longe para me ensinar a ser sensato, lógico, responsável, prático. E me mostraram um mundo onde eu podia ser tão confiável, clínico, intelectual, cínico.

Às vezes, quando o mundo inteiro está dormindo, os questionamentos são profundos demais para um homem tão simples.

Por favor, diga para mim, por favor, o que foi que aprendemos. Eu sei que parece absurdo, mas por favor, digam-me quem eu sou.

Mas cuidado com o que vai dizer, senão vão lhe chamar de radical, liberal, fanático, criminoso.

Será que você não quer deixar aqui seu nome? Gostaríamos de sentir que você é aceitável, respeitável, legal.

À noite, quando o mundo inteiro está dormindo, os questionamentos são profundos demais para um homem tão simples.

Por favor, diga para mim, por favor, o que foi que aprendemos. Eu sei que parece absurdo, mas por favor, digam-me quem eu sou.

sábado, 4 de julho de 2009

FRASES QUE GOSTO (JULHO 2009)

Frases deste mês:
  • "O primeiro passo para conseguir algo é desejá-lo." - Madre Teresa de Calcutá
  • "Pessoas com metas triunfam porque sabem para onde vão. É tão simples como isso." - Earl Nightingale
  • "Mostre-me um homem acomodado e eu mostro-lhe um fracassado" - Thomas Edison
  • "Trabalhe como se não precisasse do dinheiro. Ame como se nunca tivesse sido magoado. Dance como se ninguém estivesse vendo." - Satchel Paige
  • "A Verdade é como o Sol. Podes escondê-la durante algum tempo, mas ela não desaparece." - Elvis Presley

sexta-feira, 3 de julho de 2009

FRANÇA : NARBONNE (Junho/2009)






Comecei outra semana de trabalho em Toulouse a “todo vapor”. Notei que meu gerente de lá da França não havia agendado nenhuma atividade para mim na sexta-feira. Na quinta-feira, logo após a última reunião do período da manhã, ele me disse que se eu não tivesse nada programado para o dia seguinte, poderia tirar o dia livre.

Por essa eu não esperava! Eu estava pensando que teria que trabalhar a semana inteira e no sábado, já pegaria o avião para voltar ao Brasil, ou seja, passeios na França, somente na próxima viagem a trabalho ou nas férias.

Já que teria a sexta-feira livre, decidi ir até a cidade de Narbonne.

Narbonne foi a primeira colônia romana fora da Itália. No ano 118 A.C., os romanos fundaram na região da Gália uma colônia chamada Colonia Narbo Martius, em homenagem ao cônsul romano Quintus Marcius Rex. Esta colônia estava situada no caminho da Via Domita, a primeira estrada romana na Gália, que ia da Itália até a Espanha. No ano 27 A.C., Narbonne tornou-se a capital da recém criada província romana: Gália Narbonense. Depois disso, Narbonne passou pela dominação de estrangeiros. Ao longo do tempo, voltou a ser parte do domínio da França e hoje, é uma cidade bastante procurada pelo turismo.

Existe uma coisa que não entendi muito bem em Narbonne. Existe a região central da cidade, chamada de Narbonne Ville (ville em francês = cidade) e cerca de uns 10 quilômetros dali, Narbonne Plage (plage em francês = praia), a beira mar. No meu entendimento, é a mesma cidade.

Desci do trem e já segui o caminho que eu havia visto antecipadamente no mapa (agora eu acho que aprendi a lição). Fui até o Canal de la Robine, tirei umas fotos e passei no escritório de turismo para pegar um mapa da cidade.

Fui direto para a Cathédrale Saint-Just et Saint-Pasteur, cuja construção foi iniciada no ano de 1272 e até hoje está inacabada. A catedral está ao lado do palácio dos arcebispos, construído entre os séculos XII e XIV, que atualmente abriga dois museus de Narbonne. Um convento construído no século XIV interliga os dois prédios.

Como já estava na hora de almoçar, parei em uma lanchonete para comer um sanduíche. Saí de lá e fui até a praça em frente ao palácio dos arcebispos, onde existe um trecho da Via Domitia. Tirei algumas fotos por lá e em seguida fui até o palácio. Visitei seu interior, o convento e a catedral.

Decidi entrar no museu arqueológico. Infelizmente não me permitiram filmar ou fotografar lá dentro. O museu é enorme e guarda pinturas, mosaicos e objetos da era romana. Muito legal!

Depois fui andar pelo centro histórico. Como já estava quase na hora de pegar o trem de volta para Toulouse, resolvi dar uma passada na loja do palácio dos arcebispos para comprar algumas lembranças, dei uma volta nos jardins do palácio e depois fui para estação de trem.

Infelizmente não tive tempo de ver tudo em Narbonne Ville e muito menos tive tempo para ir até Narbonne Plage. Deixaria para ver o restante na próxima vez.

Minha impressão: Narbonne é outra cidade histórica que possui muitos pontos para visitação. Os dois principais museus abrigam coleções de objetos antiqüíssimos e muito bem preservados. A catedral, o convento e o palácio são magníficos. Os bares e restaurantes locais são legais também (os preços, lá nas alturas). O Canal de La Robine é legal, mas o cheiro não é muito bom (que bom que não é possível sentir o cheiro nas fotos). Se quiser, você pode fazer um passeio de barco pelo canal. Visitar Narbonne, vale a pena.

Você pode ver mais fotos de minha viagem a Narbonne no link http://viajamos.com.br/photo/albums/narbonne-franca

Fiz dois vídeos em Narbonne.

O primeiro pode ser visto no link http://www.youtube.com.br/watch?v=T4a-eNCtDyY

O segundo pode ser visto no link http://www.youtube.com/watch?v=LVzrD1akGRE

( Texto e fotos: Wilson Luiz Negrini de Carvalho )

Se você pretende viajar para a França, recomendo os dois guias a seguir. Eles poderão ser de muita ajuda:



quinta-feira, 2 de julho de 2009

FRANÇA : ALBI (Junho/2009)






Levantei bem cedo, pois meu trem sairia às 07:19 para Albi. Tomei o trem que tinha como destino final a cidade de Carmaux. Tanto na ida quanto na volta, ele parou nas cidades de Montrabe, Gragnague, Montastruc La Conseillere, Saint-Sulpice (Tarn), Rabastens Couffouleux, Lisle Sur Tarn, Gaillac, Tessonnieres e Marssac Sur Tarn.

Cheguei a Albi por volta da 08:30. Ao sair da estação, as ruas estavam praticamente desertas. Era domingo!

A região de Albi começou a se tornar mais conhecida no século IV, com a implantação de uma diocese. A Cathédrale Sainte-Cécile, a maior igreja de tijolos do mundo, teve sua construção iniciada no século XIII e por etapas, foi finalizada até o século XVI. Outro lugar muito conhecido de Albi é o Palais de la Berbie, construído em várias estapas também, deste o século XIII até o século XIV. Hoje ele abriga o museu de Toulouse Lautrec.

Para minha sorte, depois das experiências anteriores de ficar meio “sem rumo” em Carcassone e Lourdes, dei uma olhada no mapa de Albi pela Internet antes de sair do hotel, ou seja, sabia mais ou menos que direção seguir.

Andei por cerca de 10 minutos e ao longe, pude ver a enorme torre da Cathédrale Sainte-Cécile. No caminho, passei por uma feira de artigos usados em uma praça, que tinha muitas coisas interessantes.

Cheguei na Cathédrale Sainte-Cécile bem na hora que ia começar uma missa. Consegui filmar o início da missa, e especialmente o som do magnífico órgão de tubos da igreja, construído no século XVIII. Depois que a missa começou, ficou um pouco complicado para filmar e fotografar o interior da igreja, contudo, consegui registrar as pinturas do “Juízo Final”, feitas entre os anos de 1474 e 1484, que é considerada a maior pintura deste tipo da Idade Média. Simplesmente magnífica.

Em seguida passei pelo escritório de turismo para pegar um mapa de Albi (agora sim).

Fiquei um bom tempo fotografando a área externa da Catedral e arredores.

Depois fui até o Palais de la Berbie que ficava bem ao lado da Catedral. O palácio é incrível e tem um jardim em estilo clássico, muito bem cuidado e bonito. Andei pelas muralhas do fundo do castelo, de fazem divisa com um tipo de “calçadão” ao lado do rio Tarn. Tentei visitar o museu Toulouse Lautrec, mas o horário de almoço deles era das 12:00 às 14:00 horas.

Olhei no relógio e já era quase uma hora da tarde. Hora de almoçar. Saí pela porta lateral do palácio e bem na frente, um conjunto de restaurantes super simpáticos, com mesas nas calçadas, que davam para a praça da catedral. Escolhi o restaurante La Tartine para almoçar. Como em todos os restaurantes onde fui na França, a comida era deliciosa, mas o preço, meio “salgado”. Tudo bem, afinal, não é sempre que vou para Albi, não é?

Depois de levar mais de uma hora almoçando (todos os restaurantes estavam lotados), fui visitar o museu de Toulouse Lautrec. Havia várias pinturas e desenhos muito legais, pena que era proibido filmar e fotografar lá dentro. Passei na loja do museu para comprar algumas lembranças antes de ir embora.

Fui ao convento e colégio Saint-Salvi, construído a partir de 1270. Anexa ao convento, outra igreja muito bacana.

Andei pelas centenárias ruas do centro histórico, com suas lojas, restaurantes e bares. Atravessei a Pont Vieux (ponte velha), construída no século XI para ir para o outro lado da cidade, mas quando cheguei na outra margem do rio, vi que já estava na hora de voltar para a estação para pegar o trem de volta para Toulouse.

Teria pela frente mais uma semana de trabalho em Toulouse, antes de voltar ao Brasil. Até este momento, eu acreditava que este seria o meu último dia para passeio na França, já que no sábado seguinte estaria pegando o avião para retornar ao Brasil. Nem imaginava a surpresa que eu ainda teria na semana seguinte...

Minha impressão: Albi possui várias construções históricas para se visitar. A cada rua da cidade você encontra alguma coisa escondida em um canto, uma placa contando a história do local, etc. A Cathédrale Sainte-Cécile é lindíssima. Os bares e restaurantes por toda a parte histórica da cidade são muito convidativos.

Você pode ver mais fotos da minha viagem a Albi no link http://viajamos.com.br/photo/albums/albi-franca

Fiz três vídeos em Albi.

O primeiro deles (Cathédrale Sainte-Cécile) está disponível no link http://www.youtube.com/watch?v=WrdDEijq9qI.

O segundo (Palais de La Berbie) está disponível no link http://www.youtube.com/watch?v=RXVMucTx8Vg.

O terceiro (Église et Cloître Saint-Salvy) está disponível no link http://www.youtube.com/watch?v=wxwgdImj5O4.

( Texto e fotos: Wilson Luiz Negrini de Carvalho )

Se você pretende viajar para a França, recomendo os dois guias a seguir. Eles poderão ser de muita ajuda:



quarta-feira, 1 de julho de 2009

FRANÇA : LOURDES (Junho/2009)






Depois de passar a semana inteira trabalhando, estava chegando o final de semana e com certeza, iria conhecer lugares novos.

No fim da tarde de sexta-feira, saí do trabalho, deixei minhas coisas no hotel e fui até a estação Matabiau. Comprei passagens para ir até o Santuário de Lourdes no sábado e para ir até a cidade de Albi no domingo.

No sábado de manhã peguei o trem que ia para a cidade de Bayonne às 10:45. Cheguei em Lourdes por volta do meio-dia. No caminho de ida o trem parou nas cidades de Muret, Boussens, Saint-Gaudens, Montrejeau Gourdan Polignan, Lannemezan e Tarbes antes de chegar a Lourdes.

Bernadette Soubirous (Sainte-Bernadette) nasceu em Lourdes no dia 07 de Janeiro de 1844. Teve uma vida difícil desde criança. Sofria de asma e tinha outros problemas de saúde também. No dia 11 de fevereiro de 1858, acompanhada de sua irmã Toniette e da amiga Jeanne Abadie, ela presenciou pela primeira vez na gruta de Massabielle que fica praticamente às margens do rio Gave, a aparição de Nossa Senhora que segundo Bernadette, se identificou como sendo a Imaculada Conceição. Nossa Senhora apareceria para Bernadette mais 17 vezes em datas diferentes, e a cada aparição, o número de pessoas que acompanhava Bernadette aumentava. Em uma das aparições, começou a verter água da rocha da caverna, água que verte até hoje. Algum tempo depois das aparições, Bernadette decidiu tornar-se freira e recebeu o nome de Irmã Marie-Bernarde. Sua saúde era muito frágil e acabou falecendo em 16 de Abril de 1879, com 35 anos de idade. No dia 8 de Dezembro de 1933 o Papa Pio XI declarou-a Santa. Uma das coisas mais incríveis: seu corpo permanece intacto até hoje e pode ser visto lá no Santuário de Lourdes. Existem casos comprovados de várias curas em Lourdes. Milhões de pessoas visitam Lourdes todos os anos.

Ao descer do trem, não fazia a menor idéia de onde ficava o Santuário, mas como sempre, resolvi seguir um grupo de turistas e em menos de 5 minutos já avistava uma igreja enorme ao longe (será que é lá?). Vi os turistas descendo uma escadaria ao lado de uma ponte e fui atrás. Parei em uma lanchonete e perguntei a direção: era no final daquela rua onde eu estava. Esta rua estava completamente tomada por lojas de artigos religiosos. Você consegue comprar, terços, imagens, pequenos vidros e até galões para levar a água do Santuário de Lourdes.

Parei em uma loja para comprar algumas coisas para levar para benzer lá no Santuário e para minha surpresa, o comerciante falava português. Ouvi dizer que em Lourdes, existem algumas lojas onde os comerciantes falam até 10 idiomas diferentes.

Chegando na entrada do santuário, notei que não havia muita gente. O dia estava meio encoberto e eu acho isto talvez tenha feito as pessoas desistirem de ir lá. Tinha que ficar de olho no relógio, pois meu trem para retornar a Toulouse sairia em 2 horas.

Fotografei e filmei a entrada do Santuário, a parte de baixo da igreja e a gruta onde houve a aparição de Nossa Senhora. Levei as lembranças que comprei para benzer, parei alguns minutos na igreja para rezar pelos meus parentes, amigos e também por aqueles que pensam que são meus inimigos.

Na gruta, resolvi pegar uma pequena fila, onde você pode entrar nela. É impossível descrever o que você sente quando toca nas rochas da gruta, na água que verte das pedras. A sensação é magnífica, única. Foi uma das melhores sensações que já tive na minha vida. Não sei como descrever, eu fiquei meio atordoado, não sabia o que fazer. É simplesmente INCRÍVEL! Fiquei algum tempo na gruta.

Ao sair de lá, olhei o relógio. Infelizmente tinha que voltar para a estação de trem. Voltei meio rápido, pois estava meio em cima da hora. Para minha sorte, o trem atrasou-se 30 minutos e pude comer um lanche.

No caminho de volta para Toulouse o trem parou somente na cidade de Tarbes (graças a Deus). Cheguei na estação em Toulouse e fui arrumar um lugar para jantar. No dia seguinte estaria indo para a cidade de Albi.

Minha impressão: Lourdes é uma pequena cidade. A maioria das lojas que vi são praticamente lojas de arigos religiosos (óbvio?). Tem alguns restaurantes e lanchonetes. Destaque total para o Santuário. Não vi mais nada de interessante por lá. Para os católicos, eu garanto: esta é uma experiência INCRÍVEL, ÚNICA e IMPERDÍVEL!

Você pode ver mais fotos da minha viagem a Lourdes no link http://viajamos.com.br/photo/albums/lourdes-franca

Segue o link de um vídeo que fiz quando visitei o Santuário de Lourdes na França http://www.youtube.com/watch?v=vn1qwOORWe8

( Texto e fotos: Wilson Luiz Negrini de Carvalho )

Se você pretende viajar para a França, recomendo os dois guias a seguir. Eles poderão ser de muita ajuda: