sexta-feira, 3 de julho de 2009

FRANÇA : NARBONNE (Junho/2009)






Comecei outra semana de trabalho em Toulouse a “todo vapor”. Notei que meu gerente de lá da França não havia agendado nenhuma atividade para mim na sexta-feira. Na quinta-feira, logo após a última reunião do período da manhã, ele me disse que se eu não tivesse nada programado para o dia seguinte, poderia tirar o dia livre.

Por essa eu não esperava! Eu estava pensando que teria que trabalhar a semana inteira e no sábado, já pegaria o avião para voltar ao Brasil, ou seja, passeios na França, somente na próxima viagem a trabalho ou nas férias.

Já que teria a sexta-feira livre, decidi ir até a cidade de Narbonne.

Narbonne foi a primeira colônia romana fora da Itália. No ano 118 A.C., os romanos fundaram na região da Gália uma colônia chamada Colonia Narbo Martius, em homenagem ao cônsul romano Quintus Marcius Rex. Esta colônia estava situada no caminho da Via Domita, a primeira estrada romana na Gália, que ia da Itália até a Espanha. No ano 27 A.C., Narbonne tornou-se a capital da recém criada província romana: Gália Narbonense. Depois disso, Narbonne passou pela dominação de estrangeiros. Ao longo do tempo, voltou a ser parte do domínio da França e hoje, é uma cidade bastante procurada pelo turismo.

Existe uma coisa que não entendi muito bem em Narbonne. Existe a região central da cidade, chamada de Narbonne Ville (ville em francês = cidade) e cerca de uns 10 quilômetros dali, Narbonne Plage (plage em francês = praia), a beira mar. No meu entendimento, é a mesma cidade.

Desci do trem e já segui o caminho que eu havia visto antecipadamente no mapa (agora eu acho que aprendi a lição). Fui até o Canal de la Robine, tirei umas fotos e passei no escritório de turismo para pegar um mapa da cidade.

Fui direto para a Cathédrale Saint-Just et Saint-Pasteur, cuja construção foi iniciada no ano de 1272 e até hoje está inacabada. A catedral está ao lado do palácio dos arcebispos, construído entre os séculos XII e XIV, que atualmente abriga dois museus de Narbonne. Um convento construído no século XIV interliga os dois prédios.

Como já estava na hora de almoçar, parei em uma lanchonete para comer um sanduíche. Saí de lá e fui até a praça em frente ao palácio dos arcebispos, onde existe um trecho da Via Domitia. Tirei algumas fotos por lá e em seguida fui até o palácio. Visitei seu interior, o convento e a catedral.

Decidi entrar no museu arqueológico. Infelizmente não me permitiram filmar ou fotografar lá dentro. O museu é enorme e guarda pinturas, mosaicos e objetos da era romana. Muito legal!

Depois fui andar pelo centro histórico. Como já estava quase na hora de pegar o trem de volta para Toulouse, resolvi dar uma passada na loja do palácio dos arcebispos para comprar algumas lembranças, dei uma volta nos jardins do palácio e depois fui para estação de trem.

Infelizmente não tive tempo de ver tudo em Narbonne Ville e muito menos tive tempo para ir até Narbonne Plage. Deixaria para ver o restante na próxima vez.

Minha impressão: Narbonne é outra cidade histórica que possui muitos pontos para visitação. Os dois principais museus abrigam coleções de objetos antiqüíssimos e muito bem preservados. A catedral, o convento e o palácio são magníficos. Os bares e restaurantes locais são legais também (os preços, lá nas alturas). O Canal de La Robine é legal, mas o cheiro não é muito bom (que bom que não é possível sentir o cheiro nas fotos). Se quiser, você pode fazer um passeio de barco pelo canal. Visitar Narbonne, vale a pena.

Você pode ver mais fotos de minha viagem a Narbonne no link http://viajamos.com.br/photo/albums/narbonne-franca

Fiz dois vídeos em Narbonne.

O primeiro pode ser visto no link http://www.youtube.com.br/watch?v=T4a-eNCtDyY

O segundo pode ser visto no link http://www.youtube.com/watch?v=LVzrD1akGRE

( Texto e fotos: Wilson Luiz Negrini de Carvalho )