quarta-feira, 27 de maio de 2009

LIÇÕES DE VIDA


Hoje, pela primeira vez tive contato com o material do site www.pravsworld.com. São cartazes com fotos e mensagens incríveis para você regrar sua vida.

Eis a traduação de algumas delas:

"Eu preferiria ser um honesto falido que um corrupto de sucesso."

"Antes de falar, escute. Antes de escrever, pense. Antes de gastar, ganhe. Antes de julgar, espere. Antes de rezar, perdoe. Antes de desistir, tente."

"Na busca por mim, descobri a verdade. Na busca pela verdade, descobri o amor. Na busca pelo amor, descobri Deus. E em Deus, tenho encontrado tudo."

"Enquanto navega pela vida, não evite tempestades e águas bravias. Apenas deixe-as passar. Apenas navegue. Sempre se lembre, mares calmos não fazem marinheiros competentes."

"Quando cometer um erro, não olhe para trás por muito tempo. Analise as coisas e então olhe adiante. Erros são lições de sabedoria. O passado não pode ser mudado. O futuro ainda está em seu poder."

"As pessoas esquecerão o que você disse, As pessoas esquecerão o que você fez. Mas elas nunca esquecerão como você as fez sentir."

"A partir de hoje, trate a todos que encontrar como se fossem estar mortos à meia-noite. Ofereça à eles toda atenção, gentileza e compreensão de que você for capaz, e faça isso sem pensar em qualquer retribuição. Sua vida nunca mais será a mesma."

"Hoje é um novo dia! Muitos vão aproveitar este dia. Muitos viverão completamente. Por que não você?"

Visite o site e aproveite todas as lições de vida que estão disponíveis por lá!

segunda-feira, 25 de maio de 2009

DEVER DE CASA


Segue um texto que recebi cuja autoria é atribuída a Mario Quintana:

"A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.

Quando se vê, já são seis horas!

Quando se vê, já é sexta-feira...

Quando se vê, já terminou o ano...

Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.

Quando se vê, já passaram-se 50 anos!

Agora é tarde demais para ser reprovado.

Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.

Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.

Desta forma, eu digo: Não deixe de fazer algo que gosta, devido à falta de tempo, pois a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará mais"

Viva cada dia de sua vida como se fosse o último! Aproveite cada oportunidade deste dia até o último instante.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

O SILÊNCIO DOS LOBOS


Recebi este texto de minha amiga Patrícia de Santa Cruz do Sul/RS. A autoria dele é atribuída a Aldo Novak:

"Pense em alguém poderoso.

Essa pessoa briga e grita como uma galinha ou olha em calmo silêncio, como um lobo?

Lobos não gritam. Eles têm uma aura de força e poder. Observam em silêncio.

Somente os poderosos, sejam lobos, homens ou mulheres, respondem a um ataque verbal com o silêncio.

Além disso, quem evita dizer tudo o que tem vontade, raramente se arrepende por magoar alguém com palavras ásperas e impensadas.

Exatamente por isso, o primeiro e mais óbvio sinal de poder sobre si mesmo é o silêncio em momentos críticos.

Se você está em silêncio, olhando para o problema, mostra que está pensando, sem tempo para debates fúteis.

Se for uma discussão que já deixou o terreno da razão, quem silencia e continua a trabalhar mostra que já venceu, mesmo quando o outro lado insiste em gritar a sua derrota.

Olhe... Sorria... Silencie... Vá em frente...

Lembre-se de que há momentos de falar e há momentos de silenciar. Escolha qual desses momentos é o correto, mesmo que tenha que se esforçar para isso.

Por alguma razão, provavelmente cultural, somos treinados para a (falsa) idéia de que somos obrigados a responder a todas as perguntas e reagir a todos os ataques. Não é verdade. Você responde somente ao que quer responder e reage somente ao que quer reagir. Você nem mesmo é obrigado a atender seu telefone pessoal.

Falar é uma escolha, não uma exigência, por mais que assim o pareça.

Você pode escolher o silêncio.

Além disso, você não terá que se arrepender por coisas ditas em momentos impensados, como defendeu Xenócrates, mais de trezentos anos antes de Cristo, ao afirmar: "ME ARREPENDO DE COISAS QUE DISSE, MAS JAMAIS DE MEU SILÊNCIO".

Responda com o silêncio, quando for necessário. Use sorrisos, não sorrisos sarcásticos, mas reais. Use o olhar, use um abraço ou use qualquer outra coisa para não ter que responder em alguns momentos.

Você verá que o silêncio pode ser a mais poderosa das respostas. E, no momento certo, a mais compreensiva e real delas."

quinta-feira, 7 de maio de 2009

CHILE : VALPARAISO E VIÑA DEL MAR (Abril/2009)






Acordei bem cedo, pois antes de me preparar para o passeio, queria deixar minha mala meio preparada para o retorno ao Brasil.

O guia turístico passou no hotel no horário combinado e juntamente com um monte de pessoas, fomos em direção a Valparaíso.

Valparaíso está a aproximadamente 120 Km de distância de Santiago. Foi fundada em 1536 por Diego de Almagro. Tornou-se o mais importante porto do Chile e um dos mais importantes portos da América do Sul, pois antes da abertura do Canal do Panamá, era uma saída importante para o Oceano Pacífico. Valparaíso ficou conhecida também como a cidade da bandeiras, porque seus moradores penduravam as roupas para secar nas janelas e ao longe, vistas dos navios que chegavam, pareciam bandeiras.

Outras duas características marcantes em Valparaíso são as casas pintadas de cores bastante variadas e os teleféricos existentes nos morros. Sobre as cores das casas, fui informado que quando sobrava tinta da reforma de navios no porto, a mesma era doada a moradores locais, que pintavam as fachadas de suas casas com elas. Sobre os teleféricos, fui informado que antigamente as famílias mais influentes residiam em cima dos morros ou colinas existentes na cidade (um total de 42). Para chegar no topo dos morros, foram construídos teleféricos. Hoje ainda existem 15 deles e por causa deles, Valparaíso foi considerada pela UNESCO como patrimônio da humanidade.

Chegamos em Valparaíso e fomos conhecer diretamente a Plaza Sotomayor. Nesta praça tem o prédio da Armada de Chile (Marinha), um monumento aos heróis locais e prédios antigos. Um detalhe interessante é que pelo meio da praça, existe uma porta de metal que se abre do chão e ao descer a escadaria você encontra os restos de uma embarcação antiga (madeiras, canhões e outras peças) que foi encontrada durante a construção da praça. Na verdade é um pequeno museu.

Depois de ficarmos alguns minutos por lá, fizemos um pequeno "city-tour" e fomos conhecer o mirante de Valparaiso. A vista da cidade é simplesmente magnífica. Na região existem várias construções antigas, embora mal conservadas, ainda são muito bonitas. Tirei várias fotos por lá, comprei algumas lembranças na feira de artesanato local.

Seguimos viagem para Viña del Mar que fica a 10 minutos do centro de Valparaiso. Na verdade, o que separa uma cidade da outra é apenas um morro.

Viña del Mar é conhecida como a cidade jardim. Logo em sua entrada existe um relógio de flores, que realmente funciona. A administração pública de Viña del Mar institui anualmente, na primavera, um concurso para seus moradores: o prédio que tiver suas sacadas mais adornadas de flores, não pagará conta de água e de luz. Basta olhar qualquer prédio que você vai ver uma verdadeira floresta em suas sacadas.

Fizemos um pequeno passeio pela orla das praias e fomos almoçar. Além da comida pedida, o restaurante oferecia por conta da casa um creme de marisco muio gostoso. Findo o almoço fui até a praia, pois queria tirar fotos e para não perder o costume, colocar a mão na água (o caipira aqui nunca havia entrado no Oceano Pacífico - hahaha). Não prestei atenção no padrão de arrebentação das ondas e nem na força delas. Quando coloquei a mão na água, uma onda acabou inundando os meus pés (de tênis e meia junto - hahaha). A água do Pacífico é estupidamente gelada e meus pés não gostaram nem um pouco daquele banho involuntário. Já que o que não tem remédio, remediado está, fiquei com pés molhados mesmo.

Entramos no ônibus, paramos em outra praia local e fizemos mais um passeio pela cidade. Paramos em um museu local, onde existe um Moai trazido da Ilha de Páscoa. Tiramos várias fotos. Retornamos a Santiago, pegamos um trânsito congestionado e acabei chegando ao hotel de noite. Saí para fazer um lanche rápido e voltei para terminar de arrumar minha mala.

Meus passeios pelo Chile haviam terminado. Mais passeios? Conhecer novos lugares e novas pessoas?... Só nas próximas férias.

Minha impressão: Valparaiso, sem dúvida é uma cidade de grande importância histórica. Para aqueles que gostam de fazer turismo cultural, como eu, é uma boa opção. Possui muitos bares e restaurantes. Fique o tempo inteiro atento à sua bolsa. Viña Del Mar é uma cidade de padrão mais alto. Possui lindos condomínios a beira-mar, restaurantes e bares muito legais. A comida típica de ambas cidades, não preciso nem falar... peixes e frutos do mar!
( Texto e fotos: Wilson Luiz Negrini de Carvalho )

Se você vai viajar para o Chile, recomendo o livro abaixo. Ele poderá ser bem útil:

quarta-feira, 6 de maio de 2009

CHILE : ISLA NEGRA, ALGARROBO E POMAIRES (Abril/2009)






A viagem a Isla Negra começou um pouco tumultuada. Com atraso de aproximadamente uma hora, minha guia turística me apanhou no hotel. A previsão seria visitarmos a casa de Pablo Neruda, que hoje é museu, em Isla Negra, irmos até Algarrobo conhecer a maior piscina de água salgada do mundo, almoçarmos em um restaurante de peixes e frutos do mar em Isla Negra e depois retornarmos para Santiago.

Contudo, na nossa "van" estava uma mulher que queria visitar Pomaires, que ficava no caminho para Isla Negra, mas não fazia parte de nosso roteiro. Quando nossa guia turística informou que Pomaires não fazia parte da programação, a mulher, com um sotaque típico de uma determinada região do Brasil, levantou o tom de voz e insistiu de forma extremamente inconveniente na mudança de roteiro, sem sequer consultar os outros passageiros (como eu vivo dizendo, dinheiro compra tudo o que uma pessoa quer, mas nem sempre compra o que ela mais precisa). A guia turística, que me deu a impressão de não estar acostumada com tanta falta de classe e de educação, gentilmente disse que por compensação ao atraso em nos apanhar no hotel, estaria abrindo uma exceção e nos levando também até Pomaires.

Passados estes instantes desagradáveis, seguimos viagem até Isla Negra. No caminho, a guia falava sobre a prática de agricultura no local. Pude observar enormes plantações de pêssego, alface, batata, cebolinha e morango. Notei que em um determinado ponto, bem ao lado do acostamento da estrada havia como se fosse um "cercado", com diversas garrafas de água dentro dele. Perguntei e a guia me respondeu que no Chile os caminhoneiros costumam deixar garrafas de água em determinados locais, como um tipo de oferenda a santos, a pessoas mortas e outras coisas.

A casa-museu de Pablo Neruda fica de frente para o mar. Segundo a própria guia turística, a casa se parece com o território do Chile: estreita e comprida. Para entrarmos na casa, existe uma pessoa do local, atuando como um tipo de guia de visitantes, que é paga para nos mostrar todo o interior da casa, contar sobre a história da mesma, bem como sobre a vida de Pablo Neruda. Infelizmente ela não permitiu que tirássemos fotos dentro da casa, que se parece com o interior de um barco. Por todos os lados existem objetos que lembram alguma coisa do mar. Muito bonita!

Do lado de fora da casa existem vários sinos pendurados em finas toras de madeira, um veleiro, uma âncora de bom tamanho e também o túmulo onde estão enterrados Pablo Neruda e sua esposa.

Encerrada a visita, dei uma passada até a lojinha que tem dentro da casa-museu para comprar algumas lembranças.

Seguimos viagem até Algarrobo para conhecer a maior piscina de água salgada do mundo, localizada dentro de um "resort" chamado San Alfonso del Mar. Esta piscina tem mais de 1 Km de extensão. Alguns de seus usuários chegam a usar pequenos barcos dentro dela. Ao lado do "resort" tem uma área ecológica protegida por cerca, onde vivem diversas aves de região marítima. A praia em frente era muito bonita também.

Retornamos à "van" e seguimos viagem até Pomaires. No caminho, ainda em Algarrobo, passamos por uma praia chamada El Quisco, pois bem no meio dela, na água, tem uma pedra com um único cacto em cima (este tipo de cacto é chamado de quisco). O cacto é enorme e chama bastante a atenção.

Pomaires é uma cidade bem pequena, famosa por suas peças de artesanato em cerâmica. Possui restaurantes com comidas típicas da região - fomos almoçar em um destes restaurantes. O restaurante tinha em seu interior, colocados sobre as mesas ou pendurados pelo teto, frutas, verduras e legumes da região; tudo para venda. A comida era farta e muito boa. Tive a oportunidade de almoçar novamente com um casal muito agradável, com quem já havia almoçado no dia anterior, em Portillo. A mulher era professora de francês e o marido era médico cardiologista.

Terminado o almoço, visitamos algumas lojas de artesanato nas proximidades.

Findo o passeio, retornamos a Santiago. A jornada de viagens ininterruptas durante estes dias havia me cansado um pouco. Estava com preguiça de sair para jantar, mas de repente, um daqueles tremores de terra diários em Santiago, só que relativamente forte, me fez rapidamente pegar meu agasalho, minha bolsa e sair para a rua. Comi um lanche rápido, andei mais um pouco e voltei para o hotel.

No dia seguinte iria para meu último passeio no Chile: as cidades de Valparaíso e Viña Del Mar.

Minha impressão: As praias de Isla Negra são bonitas. Para mim, o maior atrativo do local é sem dúvida a casa-museu de Pablo Neruda. Algarrobo também tem praias bonitas, além de bons restaurantes e bares. Tirando a estrada principal que corta as duas cidades, honestamente não vi ruas asfaltadas. São lugares rústicos e ao mesmo tempo de nível social mais alto. Pomaires é um local minúsculo e os atrativos são os restaurantes e as lojas de artesanato.
( Texto e fotos: Wilson Luiz Negrini de Carvalho )

Se você vai viajar para o Chile, recomendo o livro abaixo. Ele poderá ser bem útil:

terça-feira, 5 de maio de 2009

CHILE : PORTILLO (Abril/2009)






Acordei bem cedo, pois estava ansioso para conhecer Portillo. Tinha ouvido muitos elogios sobre o local.

Distante 160 km de Santiago e 40 km da base do pico Aconcagua (o mais alto do hemisfério sul), Portillo é o mais famoso e o mais antigo centro de esqui da América do Sul, a 2.860 metros de altitude.

Portillo já foi conhecido também como "Paso Angosto". Na década iniciada em 1930, aventureiros que eram adeptos do esqui começaram a planejar as pistas de esqui de Portillo. Algum tempo depois, foi construída uma hospedagem que foi chamada de Hotel Portillo junto com o primeiro teleférico do local. No início da década de 1940 começou-se a construir um novo hotel que ficou pronto em 1949 - o governo Chileno detinha a propriedade do mesmo. Em 1962 o governo Chileno vendeu o Hotel Portillo a dois norte-americanos e daí em diante, começou uma história de sucesso.

Portillo sediou o campeonato mundial de esqui em 1966, o único disputado na América do Sul. Foi em uma das pistas de Portillo que o recorde mundial dos 200 Km/h foi quebrado.

Atualmente, Portillo é tomada tanto por esquiadores de todas as modalidades como também por praticantes do "snowboarding".

A paisagem em Portillo é simplesmente magnífica. Destaque especial para a Laguna Del Inca que fica nos fundos do Hotel Portillo.

Depois de esperar algum tempo, minha guia turística chegou. Uma garota com não mais que 25 anos de idade, super agradável, super simpática.

A caminho de Portillo fizemos várias paradas. Primeiro em uma loja de conveniências de um posto de gasolina para comprarmos água e qualquer outra coisa que quiséssemos beber ou comer.

Depois paramos para conhecer o monumento da Batalha de Chacabuco. Esta batalha ocorreu em Fevereiro de 1817 e foi decisiva para a independência do Chile. Poucos minutos de viagem a mais e paramos novamente em um local de onde é possível avistar o pico Aconcagua.

Mais um tempo de viagem a paramos aos pés da Cordilheira dos Andes para tirar umas fotos ao lado de um rio de é formado pelo degelo da neve nos Andes. Bem perto havia sobre o rio uma ponte de corda e madeira. Não resisti à tentação e atravessei-a para ver o que tinha do outro lado... Nada de interessante. Um fato curioso, são algumas pedras verdes que estavam por toda a volta. A guia turística informou que era cobre puro.

Continuamos a viagem e logo a frente, paramos novamente em um local conhecido como Salto Del Soldado. Este local é uma falha em um trecho de rocha que entre suas extremidades existe um enorme precipício. Os chilenos contam que na época da guerra, um soldado estava sendo perseguido por uma tropa e que conseguiu fugir da mesma ao saltar de um lado ao outro da rocha. Olhando o lugar de perto, imaginei que o soldado deveria ter umas pernas muito fortes e a tropa que o perseguia devia lhe causar muito medo (hahahaha).

Seguimos viagem e mais uma vez (não agüento mais), paramos no posto de alfândega na fronteira entre o Chile e a Argentina. Como sempre, tirei várias fotos do local.

Voltamos para a "van", viajamos mais alguns minutos e finalmente chegamos a Portillo. Já havia visto muitas fotos da Cordilheira dos Andes, mas a visão que tive foi incrível. Por mais que Portillo possa ser vista através de fotos, não é a mesma coisa que estar lá no local. A Laguna Del Inca é magnífica, com água azul clara, límpida.

Decidimos almoçar primeiro e depois fazer uma caminhada até o lago. O Hotel Portillo é o único no local, portanto, almoçamos lá mesmo. Em seguida, como não havia neve para esquiar (era início de outono), fomos até o terraço do hotel para tirar fotos. Caminhamos até o lago e mais fotos. Como sempre, eu precisava colocar a mão na água, que estava super, hiper, estupidamente gelada. Assim como a água, um vento gelado penetrava facilmente o meu blusão, mas assim mesmo permaneci naquele lugar magnífico. Ficamos conversando um bom tempo por lá e depois retornamos para a "van". Na saída do hotel, dois enormes cães da raça São Bernardo, soltos, brincavam com todos que passavam por ali.

No caminho de volta a Santiago, paramos mais uma vez na estrada para fotografar a "corredeira" formada pelo degelo da neve nos Andes. Cheguei a Santiago no final da tarde. Ainda tive tempo de andar até a cidade para conhecer e tirar fotos de alguns locais que ainda não havia visitado.

No dia seguinte visitaria Isla Negra...

Minha impressão: Na época que fui, baixa temporada, Portillo tem apenas os trabalhadores de obras que estão sendo realizadas no local. Durante as horas que fiquei lá, apenas um veículo de turistas, brasileiros por sinal, apareceu por lá. Independente da quietude, Portillo me pareceu ser um lugar "mágico". Segundo informações, no inverno é um local bastante concorrido.
( Texto e fotos: Wilson Luiz Negrini de Carvalho )

Se você vai viajar para o Chile, recomendo o livro abaixo. Ele poderá ser bem útil:

segunda-feira, 4 de maio de 2009

CHILE: SANTIAGO (Abril e Maio/2009)






Saí de casa no dia 26/04/2009 logo cedo, indo de ônibus até o aeroporto de Guarulhos. Meu vôo para Santiago saiu no horário marcado, sem qualquer problema.

Santiago foi fundada no local conhecido por Cerro Santa Lucia, como nome de Santiago de La Nueva Extremadura, em 12 de Fevereiro de 1541 pelo conquistador espanhol Pedro de Valdivia. Em 1818 o Chile definitivamente tornava-se independente da Espanha. Santiago está localizada em um vale, chamado também de Vale Central, tendo a leste a Cordilheira dos Andes. Atualmente, cerca de seis milhões de pessoas vivem em Santiago.

Cheguei em Santiago no fim da tarde e o receptivo me levou de imediato para meu hotel. Assim que deixei minhas no quarto já saí para a rua para ver se achava algum lugar para almoçar. Fui até o Mercado Central, que na realidade é um mercado mais de peixes e frutos do mar, mas tem também frutas, verduras e legumes. Na parte sua parte externa tem as bancas para vender estes produtos e no interior, vários restaurantes. Como o receptivo já havia me avisado que peixe e frutos do mar eram mais baratos que outros pratos, pedi um "camarãozinho" de almoço.

Terminado o almoço, saí pela região para me familiarizar e já começar a tirar as costumeiras fotos.

A minha primeira surpresa foi ver as ruas completamente tomadas por pessoas. Parecia que Santiago inteira estava na rua. Mal havia espaço para você caminhar. Era domingo e tudo estava fechado, com exceção de algumas igrejas. Aproveitei e fui conhecer a Basílica Metropolitana de Santiago e a Igreja de São Francisco.

Estava bastante cansado da viagem. Retornei ao hotel, retirei minhas coisas da mala e fui dormir sem jantar mesmo. No dia seguinte o guia turístico me apanharia para fazer o "city-tour" logo cedo.

Acordei as 07:00 (08:00 horas no Brasil), tomei um banho e fui tomar o café da manhã no restaurante do hotel. No saguão de entrada, uma enorme surpresa: o hotel parece uma enorme galeria de arte. Possui em prefeito estado de conservação, inúmeros objetos do período pré-colombiano, com mais de 800 anos. Dentre os objetos pude observar vasos, vasilhas, tecidos com desenhos diversos, colares, brincos, pulseiras e mais um monte de outras coisas de prata pura. Simplesmente magnífico.

Terminado o café da manhã, voltei para o quarto para pegar minhas coisas e esperar o guia turístico para o "city-tour". Ao entrar no ônibus, vi o guia explicando para uma mulher que se ela quiser comer mamão no café da manhã, tem que pedir por papaya. Não pode pedir por mamão. Se quiser, pode até pedir, mas isto lá no Chile significa sexo oral (hahahaha - imagina a cena da mulher pedindo mamão para o garçon do hotel, o que será que ele fez? - hahahaha). Não preciso nem falar o quanto o pessoal do ônibus bagunçou por causa da estória do mamão. Nem senhoras que pareciam mais recatadas conseguiram se conter; diga-se de passagem, algumas até ficaram bem entusiasmadas (já sabia o que elas iriam pedir no café da manhã do dia seguinte - hahaha).

Conhecemos vários lugares históricos de Santiago, como por exemplo o antigo arsenal de guerra, a praça La Moneda, bairros históricos, igrejas e o Cerro San Cristóbal. No final do passeio, o guia disse que iria nos levar para almoçar em um lugar que tinha comida muita boa... o Mercado Central. Por absoluta falta de imaginação, fui obrigado a comer camarão novamente (hahahaha). Antes de terminar o passeio e me despedir do pessoal, acertei minha agenda de passeios com o guia turístico:
  • Dia 28/04/2009 passeio a Portillo
  • Dia 29/04/2009 passeio a Isla Negra
  • Dia 30/04/2009 passeio a Valparaiso e Viña de Mar
Após o almoço, o guia nos deu a opção de conhecer a vinícola Concha Y Toro ou ficar por nossa conta pela cidade. Preferi ficar por minha conta conhecendo outros lugares da cidade.

Fui para o Cerro Santa Lucia (cerro significa morro em português). Santiago foi fundada lá. Logo na entrada do Cerro Santa Lucia, uma feira de artesanato local com produtos muito interessantes. Depois de dar uma olhada na feira, segui em frente. O Cerro Santa Lucia possui um tipo de um portal muito bonito, com uma fonte. No topo do morro tem uma antiga fortaleza cuja construção data do mesmo período da fundação de Santiago, na verdade, Santiago começou lá. Além da fortaleza existe o Castillo Hidalgo, uma residência enorme, muito antiga, mas infelizmente não tive acesso a ela para ver com mais detalhes. Tive que me contentar só com a fortaleza mesmo. Andei por todos os cantos, subindo escadarias de pedra e passando por frestas entre rochas para ter acesso a diversos pontos da fortaleza. No topo da torre mais alta, pode-se ter uma vista magnífica de Santiago, com a Cordilheira dos Andes ao fundo.

Durante meu passeio, tive a oportunidade de conhecer duas garotas, uma de Santiago e outra da República Dominicana que moravam nos Estados Unidos e estavam em férias em Santiago. Super simpáticas! Conversamos, tiramos fotos e passamos algum tempo rindo de algumas experiências que contamos uns para os outros.

Terminei o passeio no Cerro Santa Lucia no final da tarde. Fui visitar uma tipo de calçadão que existe bem em frente, só com produtos artesanais.

Quando saí de lá já era noite. Fui jantar, retornei ao hotel, tomei um banho e fui dormir. Nos próximos três dias eu iria conhecer outros lugares e só voltaria a andar por Santiago à noite, quando sairia para jantar.

No dia 01/05/2009 retornaria ao Brasil. Neste dia, levantei de manhã bem cedo para tirar as últimas fotos de Santiago. Fui até umas ruas próximas do meu hotel que eram conhecidas por terem construções dos anos 20, especialmente no cruzamento entre as ruas Londres e Paris. Tanto as ruas quanto as calçadas são de pedras. Ao passar pela frente de uma das construções, enrosquei a sola de minha bota em algo que eu pensava ser uma das pedras da rua, mas não era. Bem na frente daquele prédio, havia várias placas de metal no chão, da mesma medida que as pedras. As placas eram intercaladas com a pedras no chão. Em cada placa de metal havia o nome de uma pessoa e sua idade. Fiquei surpreso ao ver que as idades iam de 18 a 25 anos. A princípio imaginei que aquelas pessoas haviam morrido ali na rua. Ao olhar para a porta de entrada do prédio, notei uma placa maior fixada no chão, explicando que na época da ditadura militar do Chile, aquelas pessoas cujos nomes estavam nas placas do chão, foram levadas para aquele prédio, torturadas e mortas. Embora estivesse bastante tentado a fotografar tudo aquilo, lembrei-me que tenho por regra jamais fotografar qualquer coisa que seja negativa. Guardei a máquina fotográfica no bolso e fui embora.

Retornei ao hotel. Era hora de ir. Peguei minha mala, fechei a conta no hotel e fui esperar o receptivo que iria me levar ao aeroporto. O retorno ao Brasil foi bem tranqüilo. Cheguei em casa já era tarde da noite.

E agora? Agora voltaria ao trabalho e esperaria pelas próximas férias...

Minha impressão: De um modo geral, o povo chileno acolhe muito bem os brasileiros. Em alguns lugares, a diferença de tratamento é bastante evidente. Ao saber que você é brasileiro, as pessoas começam a lhe dar um tratamento especial, são muito mais amáveis, contudo, cuidado com os espertos! Santiago oferece uma grande variedade de lugares para se ir à noite, especialmente danceterias e casas de shows.

Na região de Santiago chove praticamente durante 3 meses do ano: Julho, Agosto e Setembro. O restante do ano é seco. Sabe quando você fica com a garganta e as narinas secas... prepare-se para sentir-se assim o tempo inteiro que estiver em Santiago.

Por estar bem no meio das placas tectônicas dos Andes, Santiago tem diariamente uma média de 11 tremores de terra. Muitos deles fracos, imperceptíveis, mas alguns, um pouco mais fortes. É uma sensação bastante desagradável.

Se você vai viajar para o Chile, recomendo o livro abaixo. Ele poderá ser bem útil:



Para conhecer detalhes de viagens que fiz a outros países, seguem os links. Outras cidades do mesmo país, estão nas postagens seguintes.

GRÉCIA - ATENAS http://tudoqueseiequenadasei.blogspot.com/2008/11/grcia-atenas.html

FRANÇA - TOULOUSE http://tudoqueseiequenadasei.blogspot.com/2009/06/toulouse-franca-maio-e-junho2009.html

ITÁLIA - ROMA http://tudoqueseiequenadasei.blogspot.com/2013/07/italia-roma-junho2013.html
( Texto e fotos: Wilson Luiz Negrini de Carvalho )

domingo, 3 de maio de 2009

SÃO PAULO : UBATUBA (Abril/2009)






Quem lê meu blog deve achar que eu não faço outra coisa na vida a não ser tirar férias. Devido ao tipo de serviço que realizo, quando posso, opto por "quebrar" minhas férias em 3 períodos de 10 dias. Por isso dá a impressão de eu estar em férias diversas vezes por ano. No final, são só 30 dias mesmo.

E assim, dia 21/04/2009 estava novamente em férias. Fui logo cedo para Ubatuba. Ficaria poucos dias, pois queria estar em casa no dia 24/04/2009, que era meu aniversário. Além do mais, tinha que arrumar minhas coisas, pois viajaria para o Chile, a passeio, no dia 26/04/2009 pela manhã.

Ao chegar em Ubatuba fui fazer umas compras e já fui para a praia para ver se havia onda. Haviam algumas ondas, mas nada que me animasse muito a pegar a prancha em casa. Fui andar de bicicleta, almoçar, dormir um pouco após o almoço (como sempre) e por absoluta falta do que fazer, fui andar de bicicleta novamente.

Há um bom tempo eu estava querendo conhecer algumas praias que eu ainda não conhecia, lá em Ubatuba mesmo.

Logo ao acordar no dia seguinte, preparei minha mochila, peguei o carro e fui até a Praia Dura. Como eu nunca havia estado lá, não sabia que no local existia uma estrada que levava à Praia Brava, Praia Vermelha do Sul e Praia da Fortaleza.

Fui caminhar pela Praia Dura, que possui muitas residências de luxo. A praia me pareceu bem limpa.

Em seguida, peguei o carro e fui para a praia seguinte. Sinceramente não me lembro o nome dela; era a Praia Vermelha do Sul ou a Praia Brava. A faixa de areia era muito estreita. Não havia muito espaço para se caminhar por lá. Haviam também muitas residências de luxo por lá. Caminhei por toda a extensão da praia, tirei fotos, peguei o carro e fui para a próxima praia.

O acesso para a praia era meio escondido e você tinha que descer um morro a pé, por meio de uma trilha aberta na mata para chegar até lá. A praia era muito bonita e o mar estava um pouco agitado (acho que esta era a Praia Brava). Caminhei por toda a extensão da praia, subi em uma pedras que havia em um canto da praia, tirei fotos e voltei para o carro.

Ainda queria visitar a Praia da Fortaleza, que era a última do local. Cheguei de carro até lá, mas não havia lugar para encostar o carro. No único lugar disponível, queriam cobrar R$ 8,00 pelo estacionamento (que roubo). Como já fazia quase 5 horas que eu estava andando pelas praias, estava com vontade de almoçar e não estava com nenhuma vontade de pagar R$ 8,00 pelo estacionamento, voltei para casa. Visitaria a Praia da Fortaleza outro dia, de moto.

Depois do almoço fui de carro até o centro de Ubatuba para dar uma olhada em umas coisas por lá. Voltando para casa, adivinha... fui andar de bicicleta novamente.

O dia seguinte amanheceu com sol e resolvi ir até o centro de Ubatuba comprar camarão, mas a dona dos barcos de pesca de quem eu normalmente compro não estava lá. Acabei comprando em uma peixaria mesmo. Voltei para casa e fique algumas horas preparando meu almoço. No período da tarde, fui sair de bicicleta, mas no meio do caminho começou a chover. Me escondi em uma guarita abandonada na entrada de um condomínio até a chuva diminuir e retornei para o apartamento. Fiz meu jantar e achei que já estava na hora de retornar para São José, e após limpar toda a bagunça, fiz minhas malas e retornei.

Tinha várias coisas para fazer antes da viagem que faria no domingo...
( Texto e fotos: Wilson Luiz Negrini de Carvalho )

sexta-feira, 1 de maio de 2009

FRASES QUE GOSTO (MAIO/2009)

Frases deste mês:
  • "A felicidade não depende do que nos falta, mas do bom uso que fazemos do que temos" - Autor desconhecido
  • "Como é o vencedor: é confiável, é humilde sem ser modesto, segue sempre crescendo, tem postura de vencedor, pensa grande e dá o passo certo, sabe ser especial, sabe lidar com erros, é cooperativo, associa-se a vencedores, respeita sua vocação, é ético, resolve o que precisa ser resolvido, aproveita as oportunidades, tem alto astral, aproveita as lições do passado, tem visão do futuro, é firme e flexível, tem capacidade de comunicação, é um bom vendedor de si mesmo e sabe dar uma energia extra" - Roberto Shinyashiki
  • "A vida é muito curta para se arrepender. Então, ame as pessoas que te tratam bem e esqueça as que te tratam mal" - Autor desconhecido
  • "Uma pedra intransponível para o pessimista, é uma pedra de apoio para o optimista." - Eleanor Roosevelt
  • "Os aduladores são como as plantas parasitas que abraçam o tronco e ramos de uma árvore para melhor aproveitar e consumir" - Autor desconhecido