domingo, 30 de outubro de 2016

RECEITA DE MEDALHÕES DE LOMBO DE PORCO AO MOLHO DE LARANJA


Ingredientes:
  • 1 pedaço de lombo de 1 quilo com pouca gordura
  • 1 cebola média picada finamente
  • 2 dentes de alho picados
  • Suco de 4 laranjas pêra
  • 1 ramo de alecrim fresco
  • 1 colher de sôpa de óleo
  • Sal grosso um pouco moído, pimenta-do-reino e pimenta-rosa à gosto

Preparo:

Apare o lombo para que fique com uma forma regular.

Em seguida tempere-o com a parte de gordura para cima, com pimenta-do-reino e o sal grosso. Coloque o óleo por cima e esfregue com a pimenta e o sal por todos os lados.

Coloque em fogo alto uma frigideira grande, na qual caiba toda a peça de lombo, e deixe-a esquentar bem.

Sem colocar qualquer óleo, ponha o lombo para fritar, começando com a parte da gordura para baixo (em contato com o fundo da frigideira). Frite por aproximadamente 5 minutos, ou até que fique bem dourado.

Vire o lombo em seu lado oposto e junte o alecrim fresco à frigideira.

Frite cada um dos lados conforme indicado acima, retire o lombo da frigideira e corte-o em fatias de aproximadamente 3 centímetros de largura.

Pré-aqueça o forno em nível alto.

Enquanto o forno aquece, coloque a mesma frigideira de volta em fogo alto e sele cada uma das laterais do lombo, que ainda estão cruas, por cerca de 2 ou 3 minutos de cada lado.

Retire o lombo da frigideira, distribua-os em uma assadeira e coloque-os no forno já aquecido, deixando-o lá por cerca de 15 minutos.

Usando a mesma frigideira, coloque-a em fogo médio e ponha o alho e a cebola para fritar por cerca de um minuto e meio. Em seguida, acrescente o suco das laranjas, abaixe o fogo, coloque um pouco de pimenta-do-reino e acerte o ponto de sal. Deixe reduzir por cerca de 5 minutos. Ao final do cozimento, coloque um pouco de pimenta-rosa, misture bem e apague o fogo.

Retire o lombo do forno e sirva coberto com o molho de laranja.

Tempo de preparo: 45 minutos

Serve 3 a 4 pessoas

Para você que aprecia assados, gostaria recomendar um livro com boas receitas:

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

LIVRO : HE - A CHAVE DO ENTENDIMENTO DA PSICOLOGIA MASCULINA



Título do livro: He - A chave do entendimento da psicologia masculina

Autor: Robert A. Johnson

Editora: Mercuryo

Minha percepção sobre o livro: Usando como pano de fundo a busca pelo Santo Graal, misturado aos conceitos psicológicos de C.G.Jung, o autor nos leva a uma verdadeira viagem sobre o comportamento masculino em geral. Na época em que foi lançado, no final da década de 80, este livro foi uma verdadeira febre aqui no Brasil, fazendo par com outros livros da mesma série (She, We - ela e nós em inglês). É um livro com pouco mais de 100 páginas, e proporciona uma leitura agradável e rápida.

Você pode comprar outro livro muito recomendado, deste mesmo autor, na Amazon:

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

O GATILHO MENTAL DA RECIPROCIDADE


Hoje vou falar sobre um assunto que, embora conheça desde que fiz meus treinamentos de Programação Neurolinguística há alguns anos, não tenho o hábito de falar. E o assunto é Gatilho Mental, mais especificamente o gatilho mental da reciprocidade.

Primeiro, vou tentar dar uma explicação simples, do que é um gatilho mental. O gatilho mental nada mais é do que um fato que ocorre em sua vida, que desperta de forma totalmente automática, uma reação, normalmente inconsciente, em você. Às vezes, mesmo sem você ter vontade, você se sente “na obrigação” de fazer algo, simplesmente porque alguma coisa se passou. Isto acontece de forma totalmente instintiva, ativando em você algum aspecto emocional ou mesmo social. Veja o que acabou de acontecer comigo...

O motivo de eu ter resolvido escrever este texto: Recebi há poucos minutos um envelope pelos Correios, contendo uma linda bolsa ecológica para compras feita em TNT, acompanhada de um boleto bancário em branco, para que eu efetue um depósito no valor que eu queira, para ajudar uma certa entidade.

O que acabei de relatar, é apenas um exemplo do que considero como uso “não ético” do gatilho mental da reciprocidade. A pessoa recebe um “presente”, e isso dispara um processo inconsciente em seu cérebro, dizendo que ela precisa retribuir de alguma forma, que neste caso, já vem sugerida no próprio conteúdo do envelope recebido: o boleto bancário. Afinal de contas, você aprendeu desde criança que quando recebe um presente, precisa retribuí-lo, não é?

E por quê isto não é ético? Porque eu não pedi e nem autorizei o envio deste produto para mim. Existe uma enorme diferença entre você entrar em um site da Internet, se cadastrar para receber alguma coisa, e receber algo sem pedir. Você não imagina quanta gente cai neste “golpe”.

Quer ver outro exemplo deste tipo de gatilho mental? Algumas pessoas que vendem cursos ou treinamentos on-line (pela Internet) têm costume de oferecer gratuitamente algum conteúdo, quer seja em vídeo, e-book, podcast, webinar, ou qualquer outro meio. Ao receber gratuitamente alguma coisa, muitas pessoas se sentem “na obrigação” de comprar o produto oferecido. Alguns adeptos do marketing digital chamam esta técnica de oferecer uma “isca”, não só para efetuar uma venda, mas para conseguir as informações de contato da pessoa e entupi-la de propaganda depois. Neste caso, você escolheu receber o "presente" e forneceu de livre e espontânea vontade os seus dados.

Um dos usos mais desonestos que vejo deste tipo de gatilho mental é praticado por algumas religiões, que para “arrancar” dinheiro de seus adeptos, usam não só este gatilho mental, mas outras técnicas bastante sórdidas.

Deixo aqui este alerta, para que você tente reconhecer algumas das formas que muitas vezes são usadas para lhe enganar, ou tentar lhe convencer a fazer algo que não deseja, ou que normalmente não faria.

É importante ressaltar que isto não quer dizer que tudo que seja oferecido a você, como e-books, vídeos ou outras coisas, sejam ruins ou enganação; e nem quer dizer que são produtos ou serviços ruins (na verdade muitos são excelentes), e nem que você não deva adquirir estes produtos ou serviços, ou ainda mesmo não contribuir com entidades assistenciais, se assim você deseja.

Apenas fique “esperto”, e sempre lembre do ditado que diz: “Quando a esmola é demais, o Santo desconfia”.

Ah! Já ia me esquecendo de comentar... Sobre a sacola que recebi, coloquei-a de volta no envelope, lacrei-o, marquei no seu verso como RECUSADO, e pedi para devolver para os Correios.  

Texto : Wilson Luiz Negrini de Carvalho

terça-feira, 25 de outubro de 2016

O ROEDOR DE CORDA


Você sabe o que é um "roedor de corda"?

Roedor de corda é o indivíduo que combina alguma coisa com você, mas depois te deixa na mão.

Só você faz a sua parte. A outra pessoa não faz nada ou "te larga na mão" no meio do caminho.

Às vezes é uma coisa sem importância, e às vezes a coisa é mais grave.

Infelizmente eu conheço vários deles e confesso que aqui no Brasil, uma das coisas que impera é o hábito de "roer corda".

No exterior o brasileiro é mal visto de muitas maneiras, e umas delas é exatamente o aspecto de deixar as pessoas na mão e/ou não cumprir acordos.

Faz algumas semanas eu estava participando de um "webinar" promovido por um grande empresário dos Estados Unidos, quando no meio da apresentação ele perguntou: do quê você não gosta?

Imediatamente, um dos participantes respondeu que não gostava de brasileiros, e deu vários motivos, dentre eles o hábito de "roer a corda". Inclusive esta expressão eu peguei emprestado dele, pois ela não existe aqui no Brasil.

O palestrante sentiu um certo desconforto, mudou de assunto e seguiu a palestra.

Coincidentemente, os "roedores de corda" fazem a mesma coisa quando são questionadas sobre o motivo pelo qual não cumpriram o que combinaram. Mudam de assunto, disfarçam ou o que é pior, mentem. Que fique claro que não estou querendo comparar o palestrante com um "roedor de cordas".

E por quê eles agem assim?

Alguns porque já são naturalmente pessoas de má fé. Outros porque são covardes, e os motivos, sempre negativos, são vários outros.

Sei que somos seres imperfeitos, que estamos na vida para evoluirmos, e quem nunca "pisou na bola" antes, que "atire a primeira pedra".

Contudo, quando maus hábitos são praticados com frequência, além de serem bem desagradáveis, prejudicam muita gente ou quem confiou no "roedor".

Você tem o hábito de deixar os outros na mão? Com que frequência?

Consegue voltar atrás e desfazer o mal que fez a alguém? Ou nem se preocupa com isto?

Texto : Wilson Luiz Negrini de Carvalho

Imagem de atribuição CC0 obtida no site Pixabay.

domingo, 23 de outubro de 2016

FOTO DO MÊS (OUTUBRO/2016)


Foto : Wilson Luiz Negrini de Carvalho

Para você que gosta de fotografia e quer aprender truques essenciais para tirar uma boa foto, recomendo o livro abaixo:

sábado, 1 de outubro de 2016

FRASES QUE GOSTO (OUTUBRO/2016)


Frases deste mês:
  • Todas as pessoas morrem, mas nem todas as pessoas vivem.
  • Se você quer alguma coisa, então faça acontecer, pois a única coisa que cai do céu é chuva.
  • Se a única ferramenta que você tiver for um martelo, tende a tratar tudo como se fosse um prego.
  • Quem não é fiel à sua consciência, tem uma dívida impagável consigo mesmo.
  • Quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder. - Abraham Lincoln