terça-feira, 25 de abril de 2017

LIVRO : FORÇA INTERIOR


Título do livro: Força interior - Ensinamentos práticos para uma vida melhor

Autor: Carlos França

Editora: Círculo do Livro

Minha percepção sobre o livro: O autor, professor universitário de psicologia, discorre sobre vários assuntos relativos à melhoria de vida. Na verdade o livro é uma miscelânea de coisas, que termina falando sobre prática de Yoga, que nada tem a ver diretamente com os outros assuntos tratados em capítulos anteriores do mesmo livro. De qualquer forma, o livro traz temas bastante interessantes, como por exemplo força interior, atração mental, correntes mentais negativas e outras coisas. Vale a pena a leitura.

Recomendo um outro livro bem legal para ajudar na melhoria de vida:

segunda-feira, 24 de abril de 2017

COACHING 24/ABR/2017


Feche algumas portas. Não por orgulho ou arrogância, mas porque já não levam a nenhum lugar.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

COACHING 19/ABR/2017


Se desejamos libertarmo-nos da escravidão, devemos escolher a liberdade e a responsabilidade que ela acarreta.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

sábado, 8 de abril de 2017

RECEITA DE ESPAGUETE COM BACALHAU E TOMATE


Ingredientes:
  • 250g de espaguete cozido.
  • 200g de bacalhau dessalgado em lascas.
  • 3 tomates maduros sem pele, sem sementes, picados em pedaços.
  • 1/2 cebola fatiada finamente.
  • 1 dente de alho picado.
  • 6 folhas de manjericão fresco.
  • 100 ml de água.
  • Azeitonas pretas, azeite, sal e pimenta.

Preparo:

Coloque água em uma panela grande até ocupar 3/4 de seu volume, e ponha em fogo alto.

Quando a água estiver fervendo, coloque um "fio" de azeite para que o macarrão não grude, e em seguida coloque o macarrão, sal a gosto e deixe o macarrão cozinhar.

Quando estiver "al dente" apague o fogo e escorra o macarrão. Jogue água fria por cima para interromper de imediato o processo de cozimento.

Usando a mesma panela, em fogo alto, coloque uma colher de sopa de azeite, e refogue a cebola e o alho, por aproximadamente um minuto.

Junte o bacalhau e cozinhe-o até que ele comece a se separar, quando tocá-lo com a colher.

Acrescente o tomate, 4 folhas de manjericão picada, abaixe o fogo e cozinhe-o até que comece a ferver. Caso o tomate não tenha caldo suficiente, acrescente um pouco de água.

Assim que ferver, junte o macarrão cozido, as azeitonas pretas sem caroço e misture bem até que o macarrão esteja bem envolvido pelo molho.

Sirva em uma travessa e enfeite com as duas folhas restantes de manjericão picadas.

Tempo de preparo: 30 minutos

Serve 2 a 3 pessoas.

Para você que aprecia receitas de bacalhau, gostaria de deixar minha recomendação de um livro:

quarta-feira, 5 de abril de 2017

PREJUÍZOS CAUSADOS POR USO EXCESSIVO DE VIDEOGAMES


Esta semana que passou eu estava assistindo ao jornal das 20:00 horas em um canal da televisão francesa, que por sinal apresenta excelentes reportagens e documentários, quando me deparei com uma reportagem que falava do enorme prejuízo causado às crianças, adolescentes e jovens, pelo uso excessivo dos videogames.

Segundo uma estatística mencionada, os videogames estão em primeiro lugar como os principais causadores de desentendimentos entre pais e filhos.

Dentre todos os pais entrevistados na reportagem, existe uma opinião unânime: ao terminar de jogar, TODAS as crianças apresentam uma conduta mais agressiva.

Os jogos ativam um "sistema de recompensa" no cérebro da criança, e libera um forte estimulante natural chamado dopamina, causando a dependência, e por sua vez a necessidade de jogar cada vez mais.

O maior problema de todos é a reação agressiva que muitos jogadores têm quando perdem uma partida. As crianças e adolescentes são as maiores vítimas, pois ainda não têm desenvolvidas em 100% as regiões cerebrais que regulam as emoções e os comportamentos. A repetição desta conduta agressiva pode se tornar algo patológico.

Para você ter uma ideia da gravidade da situação, a Organização Mundial da Saúde (OMS) está em vias de classificar o uso excessivo de videogames como uma doença mental, na mesma categoria em que já estão enquadrados o alcoolismo e o uso da maconha.

Em Bruxelas (Bélgica) um hospital já abriu uma ala exclusiva, com psicólogos e psiquiatras, para tratamento de "viciados" em videogames.

Olhando sob outra perspectiva, jamais poderemos colocar a "culpa" só nos videogames.

Os pais destas crianças são responsáveis por colocar limites, mas muitas vezes acham mais cômodo deixar tudo como está. Não só no aspecto de uso de videogames, mas em outros aspectos gerais do cotidiano, a displicência dos pais em colocar limites para seus filhos está gerando adultos desequilibrados, que têm a falsa percepção de que podem fazer o que bem entendem.

Aqui no Brasil, a ignorância e a natural preguiça que rege a vida de boa parte da população, faz a coisa ficar muito pior.

Os pais fazem qualquer coisa para os filhos não "encherem o saco" deles, dentre elas, dar os videogames para que as crianças fiquem "ocupadas" - é uma prática habitual e lastimável.

Você que está lendo este texto, é pai ou mãe? O que tem feito da vida de seu filho?

Texto: Wilson Luiz Negrini de Carvalho

segunda-feira, 3 de abril de 2017